Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis

VAMOS ÀS RUAS DERRUBAR O PODER DA CORRUPÇÃO


 VAMOS IMPLANTAR UM NOVO SISTEMA DEMOCRÁTICO COM O POVO DIRIGINDO O BRASIL DE FORMA DIRETA

O MANIFESTO

        1ª Proposta: Os cargos de Vereador ao de Presidente da República tem que ser entregue aos cidadãos escolhidos imediatamente por concursos públicos, realizado em 4 em 4 anos, que,  terminando os seus mandatos terão que prestar concursos públicos outra vez, junto com os demais candidatos, caso queiram ocupar novamente esses referidos cargos políticos, pois eleições não presta e representa uma grande desgraça para o povo brasileiro, e que esse sistema eleitoral criminoso são verdadeiras portas de entradas por onde as organizações criminosas adentram e se instalam nos poderes, por financiarem as campanhas políticas de muitos políticos corruptos, canalhas e vagabundos, como também o sistema eleitoral discriminam os candidatos. Por exemplo: Eleitores racistas que não gostam de negros não votam em candidatos negros. Eleitores homofóbicos não votam em candidatos homossexuais. Eleitores evangélicos dificilmente vão votar em candidatos espíritas, católicos, etc. Muitas mulheres não votam em candidatas mulheres, por acharem ser incompetente para assumirem os cargos eletivos, e muitos homens não votam em candidatos homens e vice-versa.(...);

          2ª Proposta: O povo tem que aprovar e reprovar via on-line todas as leis, pacotes econômicos, emendas constitucionais, etc., e não os políticos, onde a maioria são bandidos e recebem mensalões e propinas por de baixos dos panos para aprovarem tudo aquilo que é dos seus interesses, principalmente daqueles que investem em suas campanhas políticas, é por isso que muitos entram pobres na política e com poucos dias estão ricos (...);

          3ª Proposta: Todo direito que os políticos têm de fazer leis, projetos de coisas públicas, emendas constitucionais etc., o povo também deve ter, através da iniciativa popular, como também de aprova-los ou não, via on-line, depois dos tramites legais (...).

          Esses três ideais vão fazer com quer tudo que for feito no município, no estado e na união serão com o consentimento do povo, pois é o próprio povo que vai decidir e dirigir o destino do Brasil.

          Essa é a verdadeira reforma política que devemos lutar pela a sua implantação. Esse novo regime político, que será uma democracia direta, irá dar poder diretamente ao próprio povo de combater até erradicar as origens de todos os problemas sociais do Brasil.

          Abaixo estão explicados mais detalhadamente esses três modelos democráticos “do povo governar diretamente o Brasil.”

 

Autoria: Edilson Marinho da Silva 

 E-mail: mudar.brasil@yahoo.com.br

_________________________________________________________________

 

Sumário do manifesto:

 

CAPÍTULO I

- Concursos públicos para escolherem os administradores políticos do Brasil ao invés de eleições e de reformas políticas - (página 1)

- Realizações dos concursos públicos para escolherem os administradores políticos do Brasil - (página 2 )          

- Das inscrições, dos assuntos das provas, do acesso aos materiais de estudos e das limitações de disputas pelos cargos eletivos - (página 3)

- Elaborações das provas e fiscalizações das realizações desses concursos públicos - (página 4)

- Recursos  para  custear esses  concursos  públicos  para  escolherem os políticos - (página 5)

- Não haverá mais campanhas políticas nesse novo sistema democrático de escolher os políticos por concursos públicos - (página 6)

- Exigir curso superior para concorrer aos cargos públicos políticos - (página 7)

- Fica   mais  fácil  chegar  ao poder por concursos públicos do que por eleições - (página 8)

- Esses  concursos  públicos não vai ferir de jeito nenhum o regime democrático - (página 9)

CAPÍTULO II 

- Aprovação ou não das leis e de outras coisas de interesses públicos serão decididos pelo o próprio povo - (página 10)

- Centrais de computadores do estado para a votação on-line e os seus custeios - (página 11)

- O povo também poderá fazer projeto de lei e de outras coisas de interesses públicos e aprová-lo ou não via on-line - (página 12)

CONCLUSÃO - (página 13)

 


 

                                                          1

CAPÍTULO I

 

(Ao invés de eleições, de reformas políticas, temos que defender concursos públicos, a todo custo, para escolher os políticos em 4 em 4 anos, pois, dessa forma,  fecharemos as portas de entradas por onde adentram os políticos bandidos e vagabundos para se apossarem dos cargos eletivos e praticarem corrupções, como também acabará com as discriminações de muitos eleitores que não votam em candidatos por serem: negros, homossexuais, pobres, etc. ...)

Concursos públicos para escolherem os administradores políticos do Brasil ao invés de eleições e de reformas políticas

          Ao invés de eleições, onde o cidadão vota em escolher os administradores políticos do Brasil, se faz necessário defender com urgência as escolhas dos administradores políticos através de concursos públicos realizados em quatro em quatro anos, que, depois de terminados os seus mandatos, caso queiram ocupar algum cargo político outra vez, terão que fazer os concursos públicos novamente, junto com os demais candidatos, pois, dessa forma, será muito mais eficiente e melhor para o regime democrático brasileiro, que, hoje em dia, encontra-se em estado avançadíssimo de putrefação, por causa de tantas corrupções políticas praticadas e ejaculadas constantemente na cara do povo pela a maioria dos nossos vândalos, criminosos e desordeiros políticos, pois, política aqui no Brasil já virou sinônimo de corrupção, de canalhice, de vagabundagem, de picaretagem, de putaria, de assaltos aos cofres públicos e de tudo que não presta e que molesta e contamina a honra da população brasileira, e é por isso que nós estamos nas ruas lutando pelos os nossos direitos e contra a corrupção...

          Esse novo sistema de escolher os políticos, através de concursos públicos, será muito mais eficiente, mais econômico, mais honesto e melhor do que o tradicional sistema de eleições, que são portas de entradas abertas por onde as organizações criminosas por elas adentram e se apossam dos poderes, por financiarem as campanhas políticas de muitos políticos bandidos, filhos da puta, que são integrantes também dessas organizações criminosas, pois as quais não vão mais poder influenciar nesse novo modelo de eleições por concursos públicos...

          Essa nova democracia, de escolher os políticos através de concursos públicos, vai retirar dos poderes muitos políticos facínoras, vagabundos e canalhas; maquiavélicos, ladrões e safados, frustrados e sem vergonhas, que estão há séculos ocupando esses cargos públicos políticos, por causa desse sistema tradicional criminoso de escolher por votação, onde os votos são comprados de todas as formas, que facilita e muito as suas chegadas aos poderes, que se perpetuam repassando de pai para filho o comando desses cargos públicos políticos eletivos, ou repassando para aqueles larápios, canalhas, vagabundos e filhos da puta que vão dando continuidade ao seu sistema de administração pública caótico e criminoso, que é de defender os seus interesses próprios, de lesar o povo e de legislarem em causas próprias, em detrimento da grande maioria esmagadora da população, que é massacrada e esculachada por esses políticos crápulas, criminosos, sanguinolentos e filhos de satanás, bandos de baderneiros, vândalos, criminosos e depredadores dos patrimônios públicos...

          Governam como o Brasil fosse uma propriedade privada deles, e que poucos fazem pelo o povo, que os elegem para os mesmos fazerem da política um negócio próprio, como também furtar a dignidade desse povo, que serve de marionete e de fantoche nas mãos desses crápulas criminosos, seguidores de Satanás, que mergulham a cada dia que se passa esse país, que é rico de natureza, em todo tipo de miséria social, pois, as soluções existentes para erradicá-las contrariam os seus interesses, pois governam em nome duma minoria de grupos de interesses, que investem em suas campanhas políticas para esses fins, e é esse um dos fatores que originam todos os problemas sociais atuais do Brasil, e é contra a esse sistema político apodrecido que nós estamos nas ruas nos manifestandos...

          Escolhendo por concursos públicos, desde os cargos de Vereadores ao de Presidente da República, em 4 em 4 anos, também vai acabar com as discriminações: raciais, homofóbicas, religiosas, sexuais e de outras que existem em época de eleições entre os  cidadãos nas escolhas dos seus candidatos que irão assumir os cargos eletivos.

Vejam alguns exemplos abaixo de discriminações existente no sistema eleitoral entre os  eleitores para com os candidatos:

- DISCRIMINAÇÃO RACIAL: Muitos candidatos altamente capacitados para os cargos eletivos, muitas vezes não se elegem porque são de etnia diferente do seu eleitorado, principalmente de cor negra, pois as pessoas racistas de cor branca, ou de outra cor, que não gosta de negro, que detesta negro, que odeia negro, jamais votam em candidato negro. Observe que poucos negros existem ocupando cargos eletivos...

- DISCRIMINAÇÃO HOMOSSEXUAL: Muitos candidatos, muitas vezes altamente capacitados para assumirem os cargos eletivos, por serem homossexuais e bissexuais não recebem votos de eleitores homofóbicos...

- DISCRIMINAÇÃO POR IDADE:  A Constituição Federal de 1988 estipula na alínea “a” do inciso VI do art. 14 que cargos de Presidente, Vice-Presidente e de Senadores tem que ser ocupado por pessoa com idade mínima de 35 anos.

Obs.: Se uma pessoa tiver doutorado e não tiver 35 anos de idade não está apta para assumir esses referidos cargos eletivos; porém, se uma pessoa não tiver grau de escolaridade nenhum e se tiver idade acima de 35 anos e não for considerada analfabeta está apta a assumir esses referidos cargos. Está correto uma desgraça dessa?

- DISCRIMINAÇÃO RELIGIOSA: Muitos candidatos, por exemplo, por ser espírita, pai de santo, ou de outra denominação religião, diferentes das religiões evangélicas, dificilmente eleitores evangélicos irão votar neles...

 - DISCRIMINAÇÃO SEXUAL: Muitas mulheres não votam em candidatas mulheres, por acharem ser incompetentes para assumirem esses cargos eletivos, e muitos homens não votam em candidatos homens e vice-versa.

- DISCRIMINAÇÃO PROFISSIONAL:  Muitos candidatos, por exemplo, por serem policiais, dificilmente eleitores que odeiam e detestam polícial vai votar em candidato policial. 

- DISCRIMINAÇÃO POR APARENCIA FÍSICA: Muitos candidatos se elegem, não porque tem propostas de governo e sim, porque são bonitos, gostosos, sensuais, seja homem ou mulher, e com isso conseguem receber votos de milhares de eleitores que lhe desejam, sexualmente, e são capazes de tudo para ter uma noite de prazer sexual e de luxúria com esses tipos de candidatos...

          Observe que em época de eleições a maioria dos candidatos se preocupam com as suas aparências físicas, usam todos os artifícios de maquiagem para se apresentarem bonitos, gostosos e atraentes, sexualmente;  se vestem bem e saem nas fotos todos com as suas bocas abertas e rindo com os seus dentes polidos e brilhantes, todos  de fora, como estivessem debochando e gozando com a cara do povo, para com isso conquistar, com o seu sorriso irônico, lindo e sensual, o seu eleitorado, que, muito deles, estão mais preocupado com as aparências físicas e atrações sexuais dos candidatos do que com as suas propostas de governo...

- DISCRIMINAÇÃO POR POBREZA: Eleição por concursos públicos vai acabar também com a discriminação contra candidatos pobres, pois muitos deles quando saem candidatos não conseguem muitas vezes se eleger,  por não terem dinheiro para comprar voto, quer dizer, investirem em suas campanhas políticas, e nem tão pouco recebem apoio dos políticos poderosos, velhas raposas, que deles se afastam por serem pobres, como também muitos eleitores pobres não votam em candidatos pobres...

          Essa nova forma de eleições, por concursos públicos, realizados em 4 em 4 anos, vai acabar também com os seguintes pontos negativos existente no sistema tradicional de eleições:

1º PONTO NEGATIVO:  Muitas pessoas altamente capacitadas, porém por ser de aparencia fisicamente "feia", por ter deficiência física, por não ter simpatia, por não ser agradável e nem tão pouco usar de falsidade com as pessoas, como muitos candidatos fazem para conquistar o voto do eleitor,  não recebem votos de eleitores que lhe discriminam e que não lhe aceitam da forma que elas são...

 2º PONTO NEGATIVO: Concursos públicos para escolherem os políticos também vai acabar com as influências de artistas terem junto com os seus fãs, persuadindo-os e  conseguindo com isso os seus votos para se eleger, ou arrastar votos para o seu partido ou para a sua coligação partidária eleger outros candidatos...

3º PONTO NEGATIVO: Concurso público para escolherem os políticos vai acabar com o pressuposto do § 4º do art. 14 da Constituição Federal de 1988, que diz em outras palavras que o cidadão não tendo nenhum grau de escolaridade, porem não sendo considerado analfabeto está apto a assumir os cargos eletivos, desde o de Vereador ao de Presidente da República...

         Observe que a Constituição de 1988 foi muito irresponsável ao tratar esses cargos eletivos como os mesmos fossem funções insignificantes, um carguinho qualquer, onde qualquer pessoa sem nenhum grau de escolaridade, não sendo considerada analfabeta, estivesse apta a assumi-los...  

          Escolher os administradores políticos por eleições, como é feito atualmente no Brasil, representa uma grande desgraça de todos os tipos para o povo brasileiro. Precisamos substituir imediatamente o sistema de eleições por concursos públicos, realizados em quatro em quatro anos, que selecionará melhor sem discriminar ninguém. Os cargos políticos eletivos tem que ser entregue as pessoas capacitadas, independetemente de credo religioso, de raça, de posição social, de opção sexual, etc., e só por concursos públicos podemos fazer essa seleção...

          Essa ideia do cidadão dizer que tem direito de votar e ser votada é um engano. O direito de votar é obrigatório e ser “votado” é outra estória. Na política atual do Brasil, a maioria que ganham as eleições está com o apoio do poder econômico, e, muitas vezes, com as organizações criminosas ao seu lado lhe dando apoio por de baixo dos panos. É essa a realidade dum resumo muito ínfimo do sistema político podre do Brasil.

 

 


 

                                                                                                         2 

Realizações dos concursos públicos para escolherem os administradores políticos do Brasil

          Esses concursos públicos, para escolherem os administradores políticos do Brasil, terão que ser realizados em quatro em quatro anos, por etapas, terminando os seus mandato terão que prestar esses concursos públicos novamente, junto com os demais candidatos, caso queiram ocupar um dos cargos eletivos pretendido outra vez.

          A questão do tempo de mandato político de quatro em quatro anos ou de mais ou menos anos para se fazer  esses referidos concursos para escolherem os administradores políticos poderá ser discutida no futuro.

          Veja o exemplo abaixo para as realizações desses concursos públicos políticos:

Primeiro concurso público político (presidente e vice-presidente do Brasil)

          O primeiro concurso terá que ser realizado em todo Brasil para escolher o Presidente e o Vice-Presidente da República. O primeiro colocado assumirá o cargo de Presidente. O segundo colocado assumirá o cargo de Vice-Presidente.

Segundo concurso público político (governador, vice-governador, senador, deputado federal e estadual e seus suplentes)

          O segundo concurso terá que ser realizado em cada Estado do Brasil. O primeiro colocado em cada Estado assumirá o cargo de governador. O segundo colocado assumirá o cargo de vice-governador. Do terceiro colocado em diante preencherão as vagas numa ordem decrescente dos cargos de senadores, de deputados federais e de deputados estaduais desse respectivo Estado. Dentre os demais que não conseguirem ser classificados para nenhum dos cargos, pois, aqueles que obtiverem as maiores notas, dentre eles, assumirão as suplências dos cargos mencionados numa ordem classificatória, conforme a sua nota, quer dizer, as suplências de senadores, de deputados federais e de deputados estaduais dentro do seu respectivo Estado.

Terceiro concurso público político (prefeito, vice-prefeitos, vereadores e suplentes)

          O terceiro concurso terá que ser realizado em todas as cidades brasileiras para escolher os Prefeitos, os Vice-prefeitos e os Vereadores. O primeiro colocado em cada Cidade assumirá o cargo de Prefeito. O segundo colocado assumirá o cargo de Vice-Prefeito. Do terceiro colocado em diante preencherão o número de vagas de vereadores, dentro duma ordem classificatória decrescente, e os demais que sobrarem preencherá as vagas das suplências desses cargos, conforme as suas classificações e de acordo com a sua nota etc.

 

 


                                                         

                                                         3

Das inscrições, dos assuntos das provas, do acesso aos materiais de estudos e das limitações de disputas pelos cargos eletivos 

          As inscrições para esses concursos públicos políticos serão gratuitas e feitas pela internet, para que todas as pessoas possam fazê-las e ficarem em pé de igualdade entre elas para concorrerem a esses cargos mencionados.

          Os assuntos que irão ser abordados na prova dentre outros serão sobre: administração pública, economia do Brasil, economia mundial, direito constitucional, como também conhecimentos das funções dos cargos de Vereadores ao de Presidente da República, para com isso podermos escolher pessoas altamente capacitadas para assumirem esses cargos públicos, pois, atualmente, a maioria desses referidos cargos públicos, que são de tanta relevância administrativa para o país, estão sendo ocupados infelizmente por bandidos da mais alta escalonagem de periculosidade, verdadeiros lixos, dando de mil a zero nos piores criminosos desse país, que são produtos desse modelo político corrupto do Brasil...

          Todos os materiais de estudo para esses concursos públicos políticos ficarão disponíveis gratuitamente na internet, para todos aqueles que pretenderem concorrer a esses concursos públicos terem acesso a esses materiais didáticos de estudos sem nenhum obstáculo.

          Os administradores políticos escolhidos através de concursos públicos poderão concorrer quantas vezes quiserem aos cargos de administradores políticos de todas as modalidades; porém, aqueles administradores políticos que não conseguirem serem novamente aprovados, para continuarem nos seus cargos, ou noutros que eles optaram, nesse caso, eles terão direito liquido e certo de prestarem uma prova (tipo concurso interno) optando por vários cargos públicos, como, por exemplo, cargo de juiz de direito, de promotor de justiça, de policial, de médico, e de outros cargos públicos que eles tenham condições de assumirem, de acordo com as suas graduações superiores, através de uma ordem de classificação, conforme as suas notas...

 


                                                         

                                                         4

Elaborações das provas e fiscalizações das realizações desses concursos públicos

 

          O Superior Tribunal Eleitoral e os Tribunais Regionais Eleitorais poderão contratar as empresas que elaboram concursos públicos para as polícias, para o Judiciário e outros órgãos públicos, para as mesmas elaborarem esses concursos públicos e planejarem meios altamente sofisticados de segurança para garantirem as suas realizações, como, também, determinar que seja fiscalizados pela policia federal, civil, militar, ministério público, forças armadas e outros órgãos capacitados para fiscalizarem esses concursos públicos, evitando com isso possíveis fraudes, que serão severamente punidas com prisões inafiançáveis e com confiscos de bens dos imputados e de todos os envolvidos para ressarcir o erário público, dentre outras punições severas permitidas por novas leis penais duríssimas que serão elaboradas para serem aplicadas ao caso...

          Mesmo que haja possível vazamento sobre os assuntos das provas desses concursos públicos para escolherem os administradores políticos, mesmo assim, esse novo sistema será muito melhor e mais democrático do que o tradicional, pois todas as leis, todas as obras públicas dentre outras coisas serão aprovadas ou reprovadas diretamente pelo próprio povo, via on-line, e se algum parlamentar canalha filho da puta fizer projeto de lei ou de outra coisa de interesse público beneficiando as elites, em detrimento da grande maioria do povo, como acontece atualmente, a pessoa que vai ter os seus interesses prejudicados vota aprovando os mesmos, de forma on-line, se for otária ou ruim para si mesma. Isso será explicado mais adiante (...).

 

 


 

                                                          5

 

Recursos para custear esses concursos públicos para escolherem os políticos

 

          Os recursos virão do fundo partidário. Nesse novo sistema de escolher os administradores políticos, por concursos públicos realizados em 4 em 4 anos, não se faz mais necessário às existências de partidos políticos, de campanhas políticas, de horários políticos gratuitos e de outros artifícios e de conchaves políticos, pois todos os cidadãos chegarão aos poderes pelos seus próprios méritos, através de concursos públicos, sem o apoio das elites predominantes desse país, que, infelizmente, dão as cartas como o Brasil, ou a sua colônia, deve ser governada, pelo fato de investirem maciçamente em campanhas políticas de muitos políticos vagabundos, que se encontram atualmente nos poderes, que, na verdade, são as suas marionetes, seus fantoches, quer dizer, “Maria vai com as outras,” que podemos também taxá-los de  verdadeiras cachorras nos cios...

        Esses futuros políticos irão chegar aos poderes desvinculados dessas classes predominantes, para com isso poderem governar democraticamente respeitando sempre a vontade da grande maioria do povo, que será concretizada pelo próprio povo, pois, tudo que os administradores políticos for fazer, desde lei, obras públicas e de outros interesses públicos, dentro do seu município, dentro do seu estado, ou dentro da união, será aprovado ou reprovado via on-line diretamente pela a própria população local residente dentro desses entes públicos onde a questão foi levada ao veredicto popular...

          Nesse novo sistema democrático o povo é quem vai decidir diretamente, e não de forma indireta, através dos políticos, que tem a sua maioria corrupta, como acontecem atualmente, onde muitos deles recebem mensalões e propinas milionárias para aprovarem coisas de seus interesses, e, em forma de retribuição, peidam e ejaculam constantemente corrupção na cara do povo, lhe agradecendo por tê-los postos nos poderes, de forma inconsciente, para agirem dessa forma escrota, canalha e traiçoeira contra o povo...

 

 


 

                                                         6 

Não haverá mais campanhas políticas nesse novo sistema democrático de escolher os políticos por concursos públicos

 

          No sistema tradicional de escolher pelo o voto, conhecido como eleição, a maioria dos candidatos apresentam ao povo as suas propostas mentirosas de governo durante as suas campanhas políticas para atraírem os votos dos cidadãos; nesse caso, escolhendo por concursos públicos, não se faz mais necessário fazer campanhas políticas, pois, em primeiro lugar, 100% dessas campanhas políticas atuais que promete “isso” e “aquilo” ao povo, onde muitos candidatos vomitam, ejaculam, defecam e peidam promessas fiadas e mentirosas um na cara do outro e nos seus telespectadores e ouvintes em geral, na verdade, essas campanhas políticas e essas promessas de campanhas são todas difamatórias, são todas caluniosas, são todas injuriosas; todas elas são táticas enrolativas e de outros meios maquiavélicos de persuadir, de iludir e de enganar o povo, para com isso, através dessas estratégicas, desses artifícios satânicos, esses “cidadãos” poder se perpetuar nos poderes para continuar a prejudicar o povo, em beneficio das elites predominantes desse país, das quais fazem parte também, que não chega ser um 1% do povo, pois, detentora de mais de 80% de toda riqueza do Brasil, e que ainda trata o povo como uma verdadeira boiada, conduzindo-a ao matadouro, quer dizer, para as desgraças sociais de todas as naturezas, e que os bois dessa referida boiada (da forma que eles pensam que nós somos) estão indo as ruas reagir contra os ferrões dos seus algozes criminosos, nazistas e fascistas, condutores e donos dessa “boiada...”

          Esses futuros políticos não precisam mais fazer campanhas políticas, pois não vão mais existí-las, serão escolhidos por concursos públicos, realizados em 4 em 4 anos, e chegarão aos poderes pelos os seus próprios méritos, sem precisar do apoio dessas classes aristocráticas, que bancam por de baixo dos panos as campanhas de muitos políticos atuais, seja governo ou oposição (pois isso não importa), quem ganhar as eleições estão sempre cativos e aliados a essas referidas elites, e que, muitos desses políticos, filhos da puta, seguidores do demônio, depois de eleitos, tornam-se verdadeiras marionetes nas mãos dessas elites predominantes, onde as mesmas dão as cartas, por trás dos bastidores, como o Brasil, ou melhor dizer: o seu curral deve ser governado.

          Os futuros políticos depois de assumirem os cargos políticos, por concursos públicos, terão poderes de fazer uma reforma agrária empresarial, de forma inteligente, que produza riquezas para o país, gerando empregos e impostos para o governo; terão poder de erradicar a falta de moradia, através das construções de milhões de moradias dignas, para acabar duma vez por toda com essa vergonha nacional; também terão condições de combater a violência, de forma mais eficaz, mais enérgica, através de criação de leis penais duríssimas, fato que não ocorre no modelo atual de governo, pois preferem defender os bandidos ao invés dos cidadãos de bem, em nome duns “falsos direitos humanos satânicos”, que só jogam do lado dos criminosos, que são uma pequena minoria da população (muito ínfima), pois defendem os seus direitos em detrimento dos verdadeiros direitos humanos da grande maioria esmagadora da população, que são os trabalhadores e os cidadãos de bem, que tem os seus direitos humanos desrespeitados, por força ditatorial desses falsos democráticos defensores desses “falsos direitos humanos”, em pró desses criminosos, bandidos, vagabundos, principalmente menores criminosos, que essa lei vagabunda e sem-vergonha (Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 – O ECA = A NOJO) insiste em dizer que não é criminoso e sim, menor em conflitos; entretanto, os seus defensores precisam se acordar para a realidade e entender que essa lei incentiva aos nossos filhos, menores de idades, a matar, a roubar, a estuprar e a praticar outras modalidades criminosas, pois sabem que não estão praticando crime e sim, ato infracional. Pois bem, quem defende a desgraça e o câncer dessa lei, e quem apoiou, elaborou e aprovou o “Estatuto da Criança e do Adolescente”, dando poderes aos nossos filhos de menor a praticar crime, sem ser punidos, não acreditam em Deus e sim, no Diabo, pois dele (que é o pai da mentira e desses defensores) já falou JESUS CRISTOS, que o mesmo veio matar, roubar e destruir. “O ladrão vem somente para matar, roubar e destruir...” (João 10.10).

          Esses políticos escolhidos, por concursos públicos, terão poderes de redistribuir a renda, de forma radical; de reduzir os preços das passagens de ônibus e de outros serviços públicos prestados a população, através da redução das margens dos lucros das empresas, prestadoras desses serviços, como também das cargas de impostos pesadíssimo que existem em cima delas, que acarretam nos altos preços dos serviços prestados a população por elas. Os políticos escolhidos por concursos públicos também terão poderes de investir pesadamente na educação, na saúde pública e de fazer outras medidas para beneficiarem a grande maioria do povo. Além do mais, toda lei municipal, estadual e federal dentre outras coisas de interesses públicos serão aprovadas e reprovadas diretamente pelo o próprio povo, via on-line, e, nesse caso, o próprio povo aprovará contrariando os seus interesses se quiserem, se forem otários, trouxas, bobões, bestas etc., como também uma pessoa ou um grupo delas também poderá apresentar quaisquer tipo de projeto de lei e de outras coisas de interesse público, tipo iniciativa popular, para ser votada pelo o próprio povo, via on-line. Isso será explicado detalhadamente mais adiante (...).     

          Sendo escolhido por concursos públicos, não terá mais compromisso de defender os interesses das grandes empresas nacionais, de multinacionais, de latifundiários, de banqueiros, e de outras instituições econômicas, em detrimento da grande maioria do povo, como acontecem atualmente na política atual do Brasil, como também não tem mais compromisso de defender os interesses das organizações criminosas, lideradas por políticos criminosos, onde todos são integrantes ao poder econômico, quer dizer, denominadas como classes predominantes aristocráticas desse país, pois bancam as campanhas de muitos políticos safados, e que esses filhos da puta ficam com os “rabinhos” presos com as mesmas governando esse país em prejuízo da grande maioria do povo, que os elegeram para ser sacaniados, enganados e ejaculados pelos os mesmos, que são as verdadeiras sanguessugas, vampiros, larápios e assaltantes dos cofres públicos, como também os causadores de todo tipo de miséria social existente nesse país, que pariu a revolta da população de ir às ruas lutar contra essa situação...

          A função dos futuros políticos que vão assumir os cargos de Vereadores ao de Presidente da República, via concursos públicos, para administrarem o Brasil, será governar o país em nome da democracia, que é buscar sempre o bem estar coletivo da grande maioria do povo; porém, a maioria dos que estão nos poderes atualmente buscam sempre defender os seus interesses próprios, como também os das elites predominantes desse país, que é uma pequena minoria ínfima da população, e não cumprem com as promessas de campanhas políticas, porque estão compromissados com o poder econômico, do qual fazem parte também, que governam esse país por trás dos bastidores, através das suas marionetes, que são aqueles políticos pilantras e picaretas que receberam o seu apoio financeiro, em suas campanhas políticas, como também receberam os seus mensalões milionários (observe que muitos políticos entraram pobre na política e que hoje estão ricos...), e que estão com os “rabos presos” com essas elites predominantes, que a maioria dos políticos são também os seus integrantes, e que são, muitas vezes, elas mesmas, quem determinam como as suas marionetes devem fazer as suas campanhas políticas, quer dizer, apoiam quase todos os candidatos, pois, quem ganhar está sempre cativo e em conluio com elas...

 


 

                                                         7

 

Exigir curso superior para concorrer aos cargos públicos políticos

 

          Para concorrer a esses concursos públicos desde o cargo de Vereador ao de Presidente da Republica, a pessoa tem que ter, no mínimo, um curso superior. E, para saber se isso está correto ou não, basta analisar que, aqui, em Pernambuco, por exemplo, para ser um soldado da polícia militar o candidato tem que ter o ensino médio; para ser um policial civil, tem que ter um curso superior; muitos lugares por ai para ser um varredor de rua, tem que ter o ensino médio. Nesse mesmo entendimento, para concorrer via concursos públicos aos cargos de Vereador ao de Presidente da República, que são cargos de grandes responsabilidades e que requer mais conhecimentos intelectuais do que os mencionados, o candidato tem que ter, no mínimo, um curso superior, onde as provas de títulos, como, por exemplo: pós-graduação, mestrado, doutorado e outros serão fatores de classificação e de desempate de candidatos com as mesmas notas...

          Para dá embasamento se está certo ou errado esse entendimento de que ‘só pessoa com curso superior pode assumir os cargos de Vereador ao de Presidente da República’, se faz necessário analisar os seguintes argumentos abaixo:

          Primeiro argumento: - Se você fosse viajar de avião e já dentro tomasse conhecimento que a pessoa que fosse pilotar nunca tivesse pilotado nenhum avião em toda a sua vida, pois esse seria o primeiro; então, você ficaria no avião?

          Segundo argumento: - Se você fosse fazer uma cirurgia cardíaca confiaria em uma pessoa que não fosse formada em medicina para realizar a mesma?

          Entretanto, para pilotar um avião, para se fazer uma cirurgia, como também para governar um município, um estado e um país, as pessoas tem que ter bastante competência e conhecimento intelectual profundo, principalmente para assumirem esses cargos políticos, pois os mesmos requerem muita responsabilidade administrativa, e por isso mesmo não podemos entregar esses cargos a qualquer um, como fazemos ultimamente, principalmente entregando aos bandidos, não todos, pois a grande maioria esmagadora dos nossos administradores políticos são ladrões e assaltantes de cofres públicos, tremendos filhos da puta, baderneiros, vândalos, desordeiros, depredadores dos patrimônios públicos...    

          Analisando esses argumentos alguém maliciosamente poderia questiona-los alegando o seguinte: “que não precisaria escolher por concursos públicos, pois, as pessoas com cursos superiores já estariam aptas a saírem candidatas para disputarem as eleições, e serem escolhidas pelo o voto do povo, através do sistema eleitoral em vigor...”. 

          Quem pensar assim, embasado nesse argumento furado, está totalmente enganado. A questão central pelo o qual se deve escolher por concursos públicos os políticos é para eliminar duma vez por toda a interferência do poder econômico, quer dizer, das classes predominantes desse país de apoiarem os seus candidatos, como ocorrem atualmente no modelo atual de eleição, que faz com que os candidatos fiquem em pé de desigualdade, onde a maioria que se elegem são aqueles que receberam apoios financeiros das classes predominantes em suas campanhas políticas, como também das organizações criminosas, que, depois de eleitos, assumem esses cargos públicos eletivos para legislarem e governarem em nome delas, que os colocaram nos poderes para esses devidos fins...

          Entretanto, nesse novo modelo democrático de eleição isso não vai mais existir. Todos os cidadãos com os requisitos necessários de chegarem aos poderes irão disputarem esses concursos públicos políticos, de forma igualitária, sem precisarem mais do arrimo das classes predominantes desse país, para com isso, depois de assumirem esses cargos políticos, via concursos públicos, poderem ter autonomia de administrarem o Brasil desvinculado totalmente das elites, buscando sempre governar defendendo os interesses da grande maioria da população, como determina a democracia, que será concretizado pelo o próprio povo, que aprovará ou reprovará via on-line toda lei e toda coisa de interesse público, e que, também, esse novo sistema de governo será uma das formas de varrer e de expulsarem dos poderes aqueles pilantras, safados, vagabundos e canalhas, que se perpetuam nos poderes para legislarem e governarem em causas próprias, e fazerem da política um balcão de negócio próprio, como vem ocorrendo atualmente, principalmente nas casas legislativas, que muitas delas são verdadeiros balcões de negócios, onde milhares de aprovações de leis e de outras coisas de “interesses públicos” são feito mediante pagamentos de mensalões a muitos dos seus integrantes bandidos, como também de propinas milionárias, por de baixo dos panos, e é por isso que muitos políticos bandidos entram pobres na política e ficam ricos dum dia pra noite...

          Governam esse país como o mesmo fosse uma propriedade privada deles, quer dizer, uma verdadeira colônia, ou um curral de boi, e tudo isso graça a esse sistema eleitoral criminoso que facilita a chegada dos políticos vagabundos, bandidos e canalhas a se apoderarem dos cargos eletivos com a missão única e exclusiva de legislarem em causas próprias, em nome das organizações criminosas, das quais fazem parte também, pois não existem nem governo e nem tão pouco oposição nessa porra e sim, fações criminosas governando o país e disputando entre si o controle do Estado.   

          Com relação às exigências de cursos superiores para os candidatos disputarem através de concursos públicos os cargos desde o de Vereador ao de Presidente da República, está mais do que correto. A ocupação desses cargos administrativos políticos se faz necessário que às pessoas candidatas tenham conhecimentos profundos sobre as suas funções antes de ocupa-las. Esses mesmos procedimentos também se exigem em dezenas e em dezenas de outros cargos públicos, que são disputados por concursos públicos, que também se exigem cursos superiores entre os seus candidatos concorrentes. Entretanto, se alguém alegar que as pessoas sem cursos superiores vão ficar de fora da disputa por esses cargos administrativos políticos, nesse caso, cabe responder a ele que diga as mesmas que estudem mais para ter um curso superior, pois, dessa forma, ficará habilitada a concorrerem aos cargos eletivos, da mesma forma que uma pessoa estuda para ter um curso superior, e de outras graduações mais elevadas para concorrerem aos cargos públicos ou privados que também exigem essas referidas graduações.

          Poderia também ser questionado de forma maliciosa o seguinte: “- Se todos os políticos que estão nos poderes atualmente tivessem cursos superiores o Brasil nesse caso seria mais bem governado?” Responderia dizendo que não! seria mais bem governado se fossem escolhidos por concursos públicos, porém, no sistema necrosado de eleição atual seria muito pior, como já o é...”

          Atualmente, nos poderes, existem muitos políticos com cursos superiores e com outras graduações que estão envolvidos até o “pescoço” com corrupções de todas as naturezas, e muitos deles quanto mais graduações têm, ficam mais larápios, ficam mais safados, ficam mais pilantras, ficam mais “inteligentes”, ficam mais filhos da puta e conhecedores profundos dos seus direitos e das brechas que existem dentro do nosso ordenamento jurídico pátrio, deixadas, por eles mesmos, de forma maliciosa (quando estão elaborando as “leis”), para, num futuro tenebroso e putrefato, se defenderem, em julgamentos teatrais (como mensalão), quando forem acusados de estarem praticando: roubalheiras, falcatruas, assaltos aos cofres públicos, e outras modalidades criminosas, que são noticiadas e ejaculadas constantemente na cara da sociedade em todos os meios de comunicações, que são praticadas pela a maioria esmagadoras dos nossos políticos, pois ficam impunes e gazando com a cara do povo, sem devolver aos cofres públicos o que deles assaltaram, e que pertence ao povo, ações tais que acordou a sociedade brasileira de ir às ruas lutarem contra a corrupção...

 


 

                                                         8

 

Fica mais fácil chegar ao poder por concursos públicos do que por eleições

 

          Escolher os administradores políticos do Brasil, por concursos públicos, fica muito mais fácil ao cidadão chegar ao poder do que através do sistema via votação pelo povo. Por exemplo, milhares de cidadãos têm cursos superiores e podem fazer os concursos públicos para concorrerem aos cargos de Presidente e de Vice-Presidente da República. Caso fosse pelo o sistema tradicional de eleição, somente poderia sair candidato quem tivesse 35 anos, está afiliado a um partido político, onde o número máximo permitido de candidatos para disputarem esses cargos seria de acordo com o número de partidos existentes, que, havendo coligações partidárias esse número poderia ir diminuindo até chegar a dois candidatos, pois isso é possível, basta todos os partidos ficarem em dois blocos de coligações, onde cada bloco  apresente a sua própria candidatura... 

 

          Além do mais, os candidatos sendo escolhidos por concursos públicos vão ficar em pé de igualdade de chegarem aos poderes, pois não vai mais existir o arrimo do poder econômico das elites predominantes desse país para apoiarem esse e aquele candidato, como fazem ultimamente, deixando os mesmos em pé de desigualdade para disputarem as eleições, que está embasada no lema que diz: “só ganha às eleições aquele candidato que tiver dinheiro para comprar voto...”.

 

          Esse novo modelo democrático "de escolher os políticos por concursos públicos" vai arrebentar e desarticular duma vez por toda com essas facções criminosas, que estão há séculos enraizadas firmemente nos poderes, graça a esse sistema criminoso de escolha via votação, que facilita e muito as suas chegadas aos poderes, por gastarem rios de dinheiros em suas campanhas políticas, dinheiros advindo muitas vezes do crime organizado, que integram também ao poder econômico, e que este manipula a política e da às cartas como o Brasil, ou a sua colônia, seja lá o que for que ele acha que o Brasil é, deve ser governado...

 

 


                                                         9 

Esses concursos públicos não vai ferir de jeito nenhum o regime democrático

 

          Concursos públicos realizados em quatro em quatro anos para escolherem os representantes do povo na esfera municipal, estadual e federal de forma nenhuma, e jamais, vai ferir o regime democrático e sim, fortalecê-lo, fazendo com que os governantes sejam do povo e para o povo, e não das elites e para as elites, como são atualmente... 

          Primeiro precisamos saber a síntese da democracia, que é um regime político que as pessoas escolhem dentre elas aquelas que vão governar o país e fazerem valer a vontade da grande maioria delas.

          Aqui, no Brasil, a democracia é representativa, onde os nossos governantes foram eleitos pelo os votos do povo, que lhe deram uma procuração, através dos seus votos, para esses “cidadãos” governarem o Brasil em seu nome. Nesse caso, o que vai ser mudado é a forma de se escolher os administradores políticos, que, ao invés de ser por eleições, serão escolhidos por concursos públicos, realizados em quatro em quatro anos, pois, terminando o seu mandato e querendo concorrer aos cargos políticos outra vez terão que fazer o concurso público novamente, junto com os demais candidatos, e que esse novo modelo político não vai ferir de hipótese alguma a democracia e sim, fortalecê-la, pois vai varrer dos poderes esses políticos vagabundos, ditadores disfarçados de democráticos, lobos transvestidos de ovelhas, demagogos, marginais dos poderes, que nada fazem pelo povo, a não ser promoverem a miséria social, e que a vontade da grande maioria, que é a síntese da democracia, nesse novo modelo de escolher os políticos por concursos públicos, será respeitada na prática, pois todas as leis e outras coisas de interesses públicos serão aprovadas ou reprovadas diretamente pelo próprio povo, via on-line, e isso será explicado detalhadamente mais adiante (...).

 

 


 

                                                       10

 

CAPÍTULO II

(O povo aprovara ou reprovara, via on-line, leis, coisas de interesses públicos, e de outros..., como também poderão elaborá-los pela iniciativa popular e leva-los a aprovação popular, via on-line, depois dos tramites legais...)

 

Aprovação ou não das leis e de outras coisas de interesses públicos serão decididos pelo o próprio povo

 

          Nesse novo modelo de governo, que será uma democracia direta, todos os cidadãos poderão participar diretamente nas tomadas de decisões, sem precisarem de representantes políticos que os decidam por eles, pois a maioria dos nossos políticos atuais são bandidos, são assaltantes de cofres públicos e são marginais dos poderes, e que não é justo deixarmos que esses “cidadãos canalhas”, filhos da puta aprovem ou não as leis e outras coisas de interesses públicos, em nosso nome, podendo nós mesmos fazê-los, de forma on-line, pela internet, através de terminais de computadores do governo instalados em vários pontos estratégicos dentro do Brasil para realização desse sistema de votação on-line facultativo, sem a obrigatoriedade de votar...

          Hoje em dia, esse tipo de democracia direta, onde o próprio povo possa decidir, se tornou mais fácil de ser realizada, via on-line, através dos recursos existentes na internet, onde as pessoas podem votar aprovando ou não as leis e outras coisas de interesses públicos, sem precisar que os administradores políticos façam isso por elas...

          Não precisará ter dia definido nem feriado para as pessoas poderem votar nas leis e em outras coisas de interesses públicos, como acontece atualmente em épocas de eleições, de plebiscitos e de referendos, pois os computadores do governo ficarão em locais públicos, em cabine individual, administrados por funcionários capacitados, funcionando em horários normais de expedientes públicos, sem precisar parar o país para tal feito, onde ninguém será obrigado a votar nas leis e em outras coisas de interesses públicos, vota se quiser...

          A pessoa interessada em votar nas leis e nas coisas de interesses públicos terá que estar cadastrada biometricamente no site da Câmara de Vereadores de sua Cidade, no site da Assembleia Legislativa de Deputados de seu Estado, no site do Senado Federal, no site da Câmara Federal e no site do Congresso Nacional.

          Todos esses sites serão bem elaborados, com bastante segurança, e serão todos cadastrados no site do Tribunal Superior Eleitoral, aonde a pessoa interessada vai acompanhando nos meios de comunicações e nos sites oficiais do governo as tramitações dos projetos de leis e de outras coisas de interesses públicos, tanto a nível municipal de sua cidade, como a nível estadual do seu estado, e também a nível federal do Brasil, e que, no dia de votar, o parlamentar ira votar em sua Casa Legislativa, e a pessoa por sua vez votara em um desses terminais de computadores do governo, e, no final da votação, que poderá levar um ou mais dias, dando tempo a todos votarem, tanto o voto do parlamentar como o do cidadão serão somados para aprovarem ou não o projeto de lei, a emenda constitucional, e outras coisas de interesses públicos...

          Os dados da votação “de contra” ou “a favor” da lei e de outra coisa de interesse público, que está sendo decidido pelo o povo via on-line, só poderão ser divulgado depois do encerramento da votação, para não influenciar o povo a votar pelo impulso, caso saiba antes o andamento da votação que o “contra” ou o “a favor” está ganhando, ele poderá votar  influenciado pelo o resultado, e que isso não seria bom. Deve votar de acordo com a sua consciência.

          A pessoa não será obrigada a votar, vota se quiser. O sistema também não vai aceitar que ela vote duas vezes na mesma lei e na mesma coisa de interesse público, e que só irá poder votar nos projetos de leis e nas coisas de interesses públicos de sua cidade e de seu estado, onde se encontra domiciliado e cadastrado biometricamente nos sites legislativos, e tem que ter a idade mínima de 12 anos para poder votar.

          Observe-se que a pessoa será integrada ao legislativo municipal, estadual e ao federal, pois as leis e as coisas de interesses públicos não só dependerão dos votos dos parlamentares dessas casas legislativas, porém dependerão também dos votos das pessoas, que serão somados aos votos dos parlamentares para aprovarem ou não as leis e as coisas de interesses públicos...

 


 

                                                        11

Centrais de computadores do estado para a votação on-line e os seus custeios

 

          Todos os municípios irão ter centrais de computadores para realizações dessas votações on-line, funcionando em horário de expediente, ininterruptos, e também centrais de plantões funcionando 24 horas, possibilitando a todos os cidadãos a votarem.

          Os custeios para manter todo esse aparato funcionando vai vim do fundo partidário, pois não haverá mais partidos políticos; também virá da arrecadação da criação do imposto sobre grandes fortunas, já garantido pela Constituição de 1988, art. 153, inciso VII, que a Presidenta Dilma prometeu regulamentar e até agora, nada. Também todos os órgãos públicos ligados ao sistema de eleições, que são os Cartórios Eleitorais, os Tribunais Regionais Eleitorais e o Superior Tribunal Eleitoral,  irão ficar responsáveis de escolher os candidatos por concursos públicos, também irão se adequar a esse novo modelo de centrais de computadores de votação  on-line...

          Observação: Alguém poderia dizer o seguinte: Ao invés de tudo isso, quer dizer, votar em terminais de computadores do governo, onde esse aparato vai sair muito caro, só bastaria às pessoas votarem em seus computadores, lan houses, telefones, etc.

          Entretanto, pensando dessa forma, está totalmente errado. Por exemplo: se uma lei que vai ser levada a votação popular e que vai de encontra ao interesse de alguém,  principalmnete poderoso, esse poderia junto com várias pessoas ligadas a ele, com vários computadores, pagar para as pessoa votarem contra a lei diante de sua presença. Já nos terminais de computadores do governo isso ficaria impossível.

          Projeto de lei como a pena de morte antes de ser levada a votação pelos congressistas e pelo povo via on-line será discutido num período de tempo por parlamentares e seguimentos da sociedade "contra" e a "favor" em todos os meios de comunicações, e depois será levada a votação popular, onde o resultado final será respeitado em nome da democracia, “doa em quem doer”, e que, depois de aprovado não poderá mais ser vetado pelo o administrador político do executivo, como ocorre atualmente.

          Nesse novo sistema democrático o Prefeito, o Governador e o Presidente da República não terão mais poderes de vetar a lei e a coisa de interesse público aprovado pelo o próprio povo, pois fere o novo regime democrático. O governo deve obedecer à vontade da maioria, quer dizer, vence a maioria, então, se a maioria aprovar uma lei ou outra coisa de interesse público, o mesmo não pode ser vetado por uma pessoa, sendo assim, não é democracia e sim, ditadura. Nesse caso, quem tem direito legitimo de vetar será o próprio povo, caso o que foi aprovado, por ele mesmo, venha lhe desagradar...

          Para vetar uma lei, ou parte dela, como artigo, alínea, inciso e parágrafo, a pessoa descontente com a mesma vai a um terminal de computador oficial do governo e vota contra a lei toda, ou parte da mesma, pois terá um link no site apropriado pra isso, onde o sistema não aceitará que ele vote mais de uma vez na mesma lei, ou parte dela, pois, quando atingir o coro necessário, determinado por lei, a mesma será vetada, ou modificada, pelos parlamentares, ou pelo o próprio povo, via iniciativa popular, e depois levada à discussão para outra aprovação, ou reprovação pelo povo, via on-line, onde esse sistema também será aplicado para outras coisas de interesses públicos...

          Alguém pode questionar o seguinte: “- O povo, este povo, vai está preparado para entender e participar desse novo sistema de governo de democracia direta para votar nas leis e noutras coisas de interesses públicos?  - Vai está preparado também para vetá-los ou não junto com os parlamentares, onde a maioria desse povo só está preparado mesmo é para entender e discutir novelas e futebol...?”

          Isso é uma realidade incontestável. No entanto, responderei dizendo que o povo vai estar preparado sim, bem educado e bastante conscientizado politicamente para realização desse grande empreendimento democrático on-line só depois que os administradores políticos escolhidos por concursos públicos implantarem imediatamente uma disciplina escolar obrigatória com o nome de “conscientização política”, que tratará desses assuntos...

          O estudante desde o curso primário aos cursos superiores será conscientizado dentro dessa nova disciplina educacional que será considerada a matéria de mais peso na grade escolar e reprovará o aluno que não atingir a nota necessária para sua aprovação. Também nas realizações de todos os concursos públicos e privados serão obrigados a serem abordados esses assuntos etc.

          Nos horários nobres, em todos os meios de comunicações, serão transmitidos constantemente esses assuntos para conscientizar a população desse novo sistema democrático político, como também as novelas, programas de televisão e todos os seriados nacionais serão transmitidos em algumas de suas cenas e de seus capítulos esses sistemas de democracia direta on-line, para o povo fixarem esses novos mecanismos de democracia on-line em suas mentes, pois será um sol dum despertar democrático, trazendo o homem para as suas origens democráticas por meios da tecnologia da informática...

 


 

                                                       12

O povo também poderá fazer projeto de lei e de outras coisas de interesses públicos e aprová-lo ou não via on-line

 

          Depois que o novo sistema de escolher os políticos por concursos públicos for posto em prática, a pessoa, ou um grupo de pessoas de uma determinada cidade, com o seu domicílio eleitoral na mesma, sozinha ou em grupo, poderão elaborar um projeto de lei municipal, ou de outra coisa de interesse público, depositá-la no site da câmara de vereadores desta cidade e, em seguida, trabalhar em busca de adesão de pessoas para assinarem, de forma on-line, até esse projeto de lei ou de outra coisa de interesse público atingir um número de assinaturas on-line necessárias, dentro dos conformes das leis, dentre as pessoas que são domiciliadas nessa cidade, para com isso os vereadores ficarem obrigados a sanar os vícios de inconstitucionalidades, deste projeto de lei, ou de outras coisas de interesses públicos, e depois levarem os mesmos à votação popular, onde os vereadores votarão na câmara de vereadores, e as pessoas desta cidade, por sua vez, votarão nos terminais de computadores oficiais do governo, pois os votos dos vereadores e os das pessoas dessa cidade serão somados e valerá o resultado final dessa soma, em nome da democracia, para aprovar ou reprovar o projeto de lei ou de outras coisas de interesses públicos...

      Os projetos de lei orgânica ou de outras coisas de interesses públicos com conteúdo municipal serão depositados no site da câmara de vereadores da cidade onde o seu titular encontra-se domiciliado. Já o projeto de lei e de outras coisas de interesses públicos a nível estadual serão depositados no site da assembleia legislativa do estado que o seu titular também se encontra domiciliado. Já o projeto de lei e de outras coisas de interesses públicos nacional será depositado no site do Congresso Nacional.

        Com relação às assinaturas on-line, pois não vai mais existir o título de eleitor, toda pessoa acima de 12 anos interessadas em assinar os projetos de leis de iniciativa popular e de outras coisas de interesses públicos tem que está cadastrada biometricamente nos sites legislativos, onde o sistema não permitirá que ela assine novamente o mesmo projeto de lei e de outras coisas de interesses públicos outra vez, e só poderá assinar os projetos de leis e de outras coisas de interesses públicos do seu município e do seu estado onde se encontra domiciliada e cadastrada biometricamente, e que essas assinaturas só poderão ser realizadas nos terminais de computadores do governo...

          Os cadastramentos biométricos nos sites legislativos serão feitos nos terminais de computadores do governo que se encontram instalados na cidade que a pessoa reside.

          O tempo que um projeto de lei e de outra coisa de interesse público, através de iniciativa popular, deve ficar depositado no site da Câmara de Vereadores, na Assembleia Estadual de Deputados e no Congresso Nacional para conseguir a adesão popular de assinaturas on-line pode ser discutido, porém calculo que uns seis meses, pois passando o prazo e o projeto de lei e de outras coisas de interesses públicos não conseguindo a adesão de assinaturas on-line necessária, para ser levada ao veredicto popular, depois dos trametes legais, será excluído do site e só poderá ser depositado novamente no site depois de um determinado tempo...

          Será determinado por lei um número “x” de assinaturas on-line que um projeto de lei e de outras coisas de interesses públicos a nível municipal, estadual e federal precisam tê-los para a casa legislativa, onde encontra-se depositado, poder obrigatoriamente apresentá-los para o povo votá-los, isso depois de sanado os vícios de inconstitucionalidades, como também o autor do projeto de lei e de outra coisa de interesse público, depois de atingir o número de assinaturas on-line necessárias, caso precise, será chamado pelos parlamentares para juntos adequarem o projeto de lei, ou de outras coisas de interesses públicos, dentro da legalidade do ordenamento jurídico pátrio, caso faça necessário, antes de ser levada a votação popular via on-line.

          Projeto de lei como a pena de morte, a prisão perpetua e serviços forçados para os presos de alta periculosidade e de outras naturezas que a Constituição Federal em Vigor não permite, nesse caso, a saída urgente será os futuros políticos escolhidos por concursos públicos emendar ou elaborar outra Constituição Federal que lhe dê poderes garantindo esses direitos.

          Nesse novo sistema de escolher os políticos por concursos públicos, o povo votando nas leis e fazendo lei, os direitos que todos os parlamentares têm de apresentar quaisquer projeto de lei e de outras coisas de interesses públicos, qualquer pessoa também ira tê-lo, diferenciando-o porque a pessoa terá que depositar o seu projeto de lei ou de outra coisa de interesse público em um site da Casa Legislativa e trabalhar para ter adesão popular até a mesma poder atingir um número necessário de assinaturas on-line para ser levada a votação popular, isso depois de sanado os vícios de inconstitucionalidades, que são alguns artigos, incisos, parágrafos e alíneas dum projeto de lei, ou de todo projeto de lei,  que contrariem a Constituição Federal.

          Projetos de leis que buscam reformar ou elaborar outra Constituição não precisam eliminar os vícios de inconstitucionalidades, já que se trata de mudança radical de dispositivos da Lei Máxima do país, pois serão discutidos e debatidos por "contra" e a "favor" e levados ao veredicto popular para o próprio povo decidir, de forma on-line,  pois todo o poder emana do povo...

          Qualquer projeto de lei, com exceção daquelas que busca mudar a Constituição, ou fazer outra, antes de ser aprovada tem que está embasado na Constituição Federal em vigor para não correr o risco de depois de aprovada, toda a lei ou parte dela tornarem-se inconstitucional, e assim ficando sem efeito e sendo considerada letra morta.

 


 

                                                      13

 

CONCLUSÃO:

 

          Escolhendo os administradores políticos através de concursos públicos realizados em 4 em 4 anos, terminando o mandato e tendo que concorrer novamente aos concursos públicos, caso queira participar novamente da administração pública, juntamente com os demais candidatos,   e o povo aprovando ou reprovando diretamente todas as leis, projetos, pacotes econômicos, emendas constitucionais e de outras natureza através de votação via on-line, como também o povo podendo fazer lei para ser levada a votação popular, depois dos tramites legais, seria o melhor sistema democrático do mundo, onde esse sistema sendo implantado aqui no Brasil iria desarticular e extinguir de forma radical com todas as quadrilhas de políticos bandidos, que se encontram-se instaladas nos poderes públicos a séculos, passando o poder de pai para filho,  com a missão única e exclusiva de legislarem e governarem em causa própria,  por fim, promoverem todos os tipos de misérias sociais existente em nosso Brasil, para com isso poderem ter embasamento em suas campanhas políticas de apresentarem meios falsos de combate-las, e assim se eternizam nos poderes com esses  fundamentos maquiavélicos, e dessa forma o povão vão acreditando nessas técnicas de persuasão, como se acredita em Papai Noel, dando embasamentos para os políticos crápulas se perpetuarem nos poderes municipais, estaduais e federais, e assim, cada dia que se passa essa casta de políticos satânicos se fortalecem nos poderes cada vez mais... 

 

Autoria: Edilson Marinho da Silva

E-mail: mudar.brasil@yahoo.com.br